Postagens

Imagem
Este quadro de Picasso que se entitula de Mulher em frente ao espelho representa para mim muitas das questões que se passam no nosso dia-a-dia, no interior do nosso ser. Sem querer optar pelas interpretações mais comuns e oficiais desta obra, prefiro olhar para ela como reflexo do que se passa na nossa sociedade, nos dias que correm. Na minha opinião, as nossas prioridades estão de tal forma trocadas, damos tanta importância àquilo que os outros afirmam acerca de nós, que temos cada vez mais dificuldades em ver o nosso próprio eu. De tal modo que, olhamos para o espelho e o que vimos não é, nem de perto de longe, o que lá está. Perdemos a noção daquilo que verdadeiramente somos, das nossas potencialidades, das nossas virtudes, das nossas múltiplas belezas. A imagem tornou-se tão importante nos dias que correm que chega a fazer com que fiquemos doentes se não gostamos daquilo que vemos em nós. E, então, olhamo-nos ao espelho e vemos uma cara triste em vez de um sorriso, um lado negro, …

Oraçao por um dia feliz

Bispos da Província Eclesiástica de Belo Horizonte divulgam manifesto-Reforma da Previdencia

PAPA FRANCISCO

"AMEM
AMÉM!"

O desprezo pela Sagrada Escritura, que passa por lê-la ou ouvi-la mas não a assumir, é caminho certo para a insensibilidade às pessoas e às suas necessidades e conduz ao ateísmo, afirmou hoje o papa, no Vaticano. «Quando não nos detemos para escutar a voz do Senhor, acabamos por nos afastar, afastamo-nos dele, voltamos as costas. E se não se escuta a voz do Senhor, escutam-se outras vozes», vincou Francisco na homilia da missa a que presidiu, revela a Rádio Vaticano.
Fazer ouvidos moucos à Palavra de Deus tem consequências graves na vida pessoal e comunitária cristã: «Todos nós, se hoje nos detivermos um pouco e olharmos para o nosso coração, veremos quantas vezes - quantas vezes! - fechámos os ouvidos e quantas vezes nos tornámos surdos». «E quando um povo, uma comunidade, mas digamos também uma comunidade cristã, uma paróquia, uma diocese, fecha os ouvidos e se torna surda à Palavra do Senhor, procura outras vozes, outros senhores, e vai acabar com os ídolos, …

PARA A CNBB, REFORMA DA PREVIDÊNCIA ESCOLHE O CAMINHO DA EXCLUSÃO...

Todos temos necessidade de ser carregados pelo Bom Pastor

O Papa Francisco continuou na Audiência Geral de quarta-feira, 22 de março de 2017, seu ciclo de catequeses sobre a esperança cristã, lembrando a perseverança e a consolação, tratadas pelo Apóstolo Paulo na Carta aos Romanos. “É nas Escrituras que o Pai do Senhor nosso Jesus Cristo se revela como Deus da perseverança e da consolação” disse o Papa aos cerca de 15 mil fieis presentes na Praça São Pedro.
A perseverança, explicou Francisco, poderíamos defini-la também como paciência, pois ela é a capacidade de suportar, permanecer fieis, mesmo quando o peso parece tornar-se demasiado grande, insustentável, e seríamos tentados a julgar negativamente e abandonar tudo e todos. E consolação, por sua vez, é a graça de saber perceber e mostrar em todas as situações, mesmo naquelas mais marcadas pela decepção e sofrimento, a presença e a acção misericordiosa de Deus.
São Paulo recorda-nos que tanto a perseverança como a consolação nos são transmitidas de um modo particular pelas Escrituras, sub…

O sacrifício espiritual

Do Tratado sobre a oração, de Tertuliano, presbítero(Cap.28-29: CCL 1,273-274)             (Séc. III)
O sacrifício espiritualA oração é o sacrifício espiritual que aboliu os antigos sacrifícios. Que me importa a abundância de vossos sacrifícios? – diz o Senhor. Estou farto de holocaustos de carneiros e de gordura de animais cevados; do sangue de touros, de cordeiros e de bodes, não me agrado. Quem vos pediu estas coisas? (Is 1,11).O Evangelho nos ensina o que pede o Senhor: Está chegando a hora, diz ele,em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. Deus é espírito (Jo 4,23.24), e por isso procura tais adoradores.Nós somos verdadeiros adoradores e verdadeiros sacerdotes, quando, orando em espírito, oferecemos o sacrifício espiritual da oração, como oferenda digna e agradável a Deus, aquela que ele mesmo pediu e preparou.Esta oferenda, apresentada de coração sincero, alimentada pela fé, preparada pela verdade, íntegra e inocente, casta e sem mancha, coroada pelo …