terça-feira, 16 de dezembro de 2014

"Há a tentação de viver, conjugando a vida no passado e no futuro.
No passado: fui batizado, andei na catequese, fiz a primeira comunhão,
fui crismado, frequentei o grupo de jovens, casei na Igreja... e hoje?
No futuro: vou rezar mais, vou ser melhor, vou deixar de fumar,
vou ter mais tempo para estar com a família, vou perdoar... e hoje?
Hoje não tenho tempo, tenho mais que fazer, quero gozar a vida,
tenho que aproveitar a ocasião para ganhar mais,
não posso pensar na ética, nos valores, na justiça, na ecologia...
E quando surge um João Batista a pregar a conversão,
assobio para o lado e continuo a conjugar o presente de sempre.
Senhor, fidelidade enraizada no amor eterno,
perdoa as nossas promessas troantes de vento
e vazias de compromisso à tua aliança de vida." ((P. Leitão)

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

EM CAMPO ALEGRE - AL, A TRADIÇÃO MANDA? CARACTERIZE-A , POR FAVOR...



OH TEMPORA! OH MORES!



Uma antiga tradição religiosa da Igreja Católica de nossa cidade foi desfeita esse ano.
O Mastro que religiosamente era erguido todos os anos no dia 13 de dezembro em frente a Igreja Matriz com a bandeira do padroeiro da cidade (Bom Jesus dos Aflitos), e marcava o início da festa do padroeiro, para a surpresa dos fiéis este ano o madeiro não levantou.

Segundo informações colhidas por nossa reportagem alguns fiéis estão revoltados com a quebra de uma tradição antiga que a igreja e a cidade preservavam então. Estamos revoltados com tudo isso, pois é uma tradição que a cidade adotou há muito anos, e hoje vejo que tudo isso acabou, quem é o culpado de tudo isso? Eu participo desde os meus tempos de garoto – Disse um morador a nossa reportagem.

Fonte: Blog do Marcio Jose

domingo, 23 de novembro de 2014

SAUDAÇÕES,PESSOAL!



Eis uma necessidade: arranjar belas páginas de vida. Como você está escrevendo as páginas de sua vida? Com cores mortiças? Eu não sei nada ao certo,mas urge sempre cuidar de nós mesmos, embora para o encanto os olhos estejam fatigados. Embevecer-se pelo espetáculo da existência, conquanto seja tão breve instante... Colocar vida em cada átimo de tempo. Viva a vida ainda que seja uma anosa vida. Edson Lira
São João XXIII (1881-1963), papa 
Oração em honra do Rei eucarístico (Boletim quotidiano do Ufficio Stampa Vaticana, 24/01/1959) 


«Depois virá o fim, quando [Cristo] entregar o reino a Deus Pai» (1Cor 15,24)

Jesus, Rei dos homens e dos séculos, acolhe as homenagens de adoração e de louvor que nós, teus irmãos de adoção, Te dirigimos humildemente. Tu és «o pão de Deus que dá a vida ao mundo» (Jo 6,33), simultaneamente sumo-sacerdote e vítima. Imolaste-Te na cruz pela redenção do género humano e hoje, pela mão dos teus sacerdotes, ofereces-Te todos os dias nos altares a fim de instaurares em todos os corações o teu «Reino de santidade e de vida, de justiça e de graça, de amor e de paz» (Prefácio da festa). 
Que o teu reino venha a nós, ó Rei da glória! (Sl 23) Do alto do teu «trono da graça» (Heb 4,16), reina no coração das crianças, para que elas conservem sem pecado o lírio imaculado da inocência; reina no coração dos jovens, para que cresçam sãos e puros, dóceis para com aqueles que Te representam no seio da família, da escola e da Igreja. Reina nos lares, para que pais e filhos vivam em harmonia no cumprimento da tua santíssima Lei. Reina na nossa pátria, para que todos os cidadãos, na ordem e na compreensão entre as classes sociais, se sintam filhos do mesmo Pai celeste, chamados a colaborar para o bem temporal de todos, felizes por pertenceram ao único corpo místico de que o teu sacramento é simultaneamente símbolo e fonte inesgotável! 
Reina por fim, ó «Rei dos reis e Senhor dos senhores» (Ap 19,16; Dt 10,17), em todas as nações da terra e ilumina os responsáveis de todas elas para que, inspirando-se no teu exemplo, alimentem «desígnios de prosperidade e não de calamidade» (Jer 29,11). Faz com que todos os povos, Jesus eucarístico, Te sirvam em plena liberdade, conscientes de que «servir a Deus é reinar».


sábado, 22 de novembro de 2014

"Quero despir-me de toda hipocrisia;
Quero sentir-me leve...sem o peso de ser o que não sou;
Quero exterminar as palavras que entoam sem verdade;
Desconsiderar o olhar que não encontra o meu.

Quero ensurdecer perante elogios sem sentimentos
;
Quero o desapego à falsa felicidade;
Quero descer do salto...
E, simplesmente, esquecer a etiqueta!"